Nota

NOTA DE SOLIDARIEDADE

O SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DO ACRE, estarrecido com as irracionais e injustificadas medidas de destrato e indiscutível ilegalidade, encetadas contra a Medicina e os Médicos bolivianos por EVO MORALES AIMA, presidente da República Bolivariana e Plurinacional da Bolívia e, em solidariedade àqueles colegas que diariamente, sem condições de trabalho, empenham seu saber e suas vidas na busca de solução para todos os problemas de saúde vivenciados pela população, SINDMED-ACRE explicita seu irrestrito apoio às lutas travadas pelos colegas bolivianos, convicto de que tais embates fazem parte da desigual luta dos médicos contra gestores demagogos, ineptos e incompetentes.

A ninguém escapa que o governo boliviano, no afã de fugir de suas responsabilidades constitucionais, ademais de atribuir aos médicos bolivianos a culpa por todos os problemas, limitações e deficiências que são rotina em todo o país, montou um aparelho repressor e de propaganda com o qual pretende solapar o descalabro que acontece na rede pública de saúde e que se replica em todos os demais setores do país, onde grassa a corrupção como norma de conduta.

A draconiana lei que penaliza a “má-práxis” médica busca apenas encobrir que o ato médico é sempre realizado sem meios e nem recursos técnicos auxiliares, tanto quanto sem o indispensável auxílio de instrumental adequado e equipamentos indispensáveis para o correto diagnóstico, seja laboratorial ou de imagens (radiografias, ultrassonografia, ressonância magnética, cintilografia, etc). Cirurgias, nem falar!

Os governantes bolivianos esquecem que medicina é ciência baseada em evidências e não em adivinhações e que por essa elementar condição, nenhum médico pode ser obrigado a trabalhar sem a mínima estrutura técnica que lhe permita desvendar a causa que provoca a queixa do paciente.

Também esquece que não é punindo quem é obrigado a atuar sem meios e nem recursos, que os problemas serão resolvidos. Que os médicos não são deuses senão seres humanos preparados para buscar mitigar a dor e o sofrimento, desde que contem com condições técnicas para tanto. Não há mais reza que dê certo nestes tempos de alta complexidade e tecnologia. Por isso, punidos devem ser os apedeutas autores da famigerada “Lei da Má Práxis Médica” e as autoridades que a colocaram no mundo jurídico com o intuito de culpar médicos, julga-los, encarcerá-los e tomar-lhes seus bens, sem o devido processo legal onde seja garantido o mais amplo direito de resposta e de prova técnica a respeito do acontecido.

Atribuir aos médicos a culpa pelo atual caos que existe no sistema de saúde boliviano é catastrófico para uma nação que se autonomeia “democrática”, mas onde seus cidadãos são obrigados a pagar por tudo o que precisam quanto se trata de resguardar sua saúde e a de seu entorno familiar, a despeito dos impostos que são cobrados e da dilapidação dos recursos naturais promovida pelo governo de Evo Morales. Toda nossa solidariedade aos colegas médicos bolivianos, neste momento de luta!

A Diretoria do SINDMED-ACRE