Artigos

O cenário da medicina brasileira

O cenário da medicina brasileira para os 400 mil médicos com CRM neste início de  2017 não é nada animador. O país está entre os países com a maior quantidade de faculdades de medicina, se igualando a Índia e China cuja população está acima de 1,3 bilhões de pessoas. Enquanto o Cremesp, no Estado mais rico dá federação, divulga a reprovação superior a 60% de seus novos profissionais. E, assim, a proliferação de faculdades de medicina continua.

Faculdades de medicina são instaladas em cidades sem a mínima estrutura de saneamento básico, sem hospitais de ensino ou equipamentos adequados para a finalidade de ensino.

O conhecimento da ética pelos médicos está sendo posto em xeque pela acusação de violações dos direitos dos pacientes. Estados e municípios ricos do sul e sudeste têm atrasado salários em até 3 meses.

No Acre, o corte de 200 milhões no orçamento da saúde pode levar a desassistência da população, e o fantasma das demissões vai se tornando realidade, atingindo os serviços de urgência do PS, referência para todo o Estado, apresentando em alguns dias de fevereiro escalas com um ou dois médicos cirurgiões gerais de plantão, enquanto a necessidade mínima seria de cerca de quatro profissionais por jornada de 12 horas. O risco de morte aumenta muito para os pacientes com esse tipo de furo em serviço tão essencial para a população.

Assim, temos o SUS em marcha a ré!!!

Ribamar Costa

Presidente do Sindmed-AC