Notícias

Secretário de Saúde diz que ainda não há decisão sobre terceirização

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) reuniu os médicos e o secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, na noite de quarta-feira (20/03) para questionar a proposta de terceirização de unidades de saúde, no auditório do Hotel Nobile Suits Gran Lumni. O gestor disse que ainda não há confirmação de qualquer proposta de entrega do serviço de saúde para outra instituição ou entidade, e que apenas existem levantamentos.
“Não temos nenhuma tomada de decisão com relação à terceirização, seja ela de um serviço, seja ela da administração de um hospital. Existem vários modelos no país, modelos que estão atuando e dando certo e outros fracassados . Estamos acompanhando e analisando. Não tem nenhum processo, não tem projeto de lei tramitando na Assembleia Legislativa, o que existe são algumas empresas visitando o Estado e algumas empresas em que realizamos visitas”, explicou o secretário de Saúde.
Ele ainda falou que qualquer processo de terceirização passará por um debate com os sindicatos e que o próprio Pró-Saúde está sendo analisado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) com o objetivo de achar uma saída, evitando mais demissões, como estava previsto em acordo com o Ministério Público do Trabalho. Ele ainda informou que o Pró-Saúde passará a divulgar a relação de servidores e salários no portal da transparência, o que não era realizado antes.
Para a primeira secretária do Sindmed-AC, Jacqueline Fecury, as explicações apontaram que ainda é preciso muito debate antes de qualquer decisão.
“Como o secretário disse que ainda não há decisão sobre terceirização, e, como a classe ainda possui opiniões diferentes sobre a terceirização, acredito ser muito prematuro tomar alguma decisão. Não me posiciono nem favorável, nem contra e preciso de mais informações para qualquer conclusão”, afirmou a sindicalista.
O presidente do Sindicato, Murilo Batista, apontou para a necessidade de novas reuniões e o acompanhamento das decisões tomadas pelo governo do Estado.
“Vamos continuar buscando informações, trazendo para a classe, debatendo com a devida calma e serenidade com o objetivo da própria classe tomar a decisão e essa decisão será defendida pelo Sindmed”, explicou Murilo Batista.
O deputado estadual, o médico Jenilson Leite, também afirmou ser muito cedo para qualquer ato e reforçou a posição de continuar existindo um acompanhamento, além da própria classe realizar propostas que possam ser encaminhadas a Sesacre.
Veja toda a assembleia no vídeo abaixo: